segunda-feira, setembro 28, 2009

Pequeno monstrinho verde.




"Perdoe-me, Senhor, pois eu pequei."
Sempre quis falar isso, nunca me confessei. Pois aqui vai uma confissão.

Às vezes quero você só pra mim, só do meu pertence.
Afastar-lhe de todos os seus amigos, para ter-te só pra mim.
Claro, que sei que isso é egoísmo... Sou egoísta e sei-o bem.
Sinto, às vezes, na maior parte do tempo, confesso-vos, um ciúme de ti não tão incontrolável assim...
Apesar dessa louca vontade de te prender num frasco, não sou louca ao ponto de te privar de outras pessoas;
Fazer-lhe-ía um mal tão grande que nem meu ciúme seria maior que minha culpa.
Ver-te confessando-se com outros é ruim, mas sei necessário.
E esse pequeno monstrinho verde consome minh'alma, mas apenas o deixo roer por um tempo
Pior que prendê-lo é alimentá-lo.
Por isso prendo-o em minhas entranhas, e de lá ele não sai muitas vezes.
Não sei bem se ainda tenho entranhas, pois são com elas que o alimento.

Se ciúme e egoísmo são pecados, não me sinto mal, todos nós erramos, pecado mesmo deve ser deixar-se levar por eles. Eu os solto, deixo-os ir. Não os quero. Digo a mim mesma que não preciso. E sei-o que não.

Gosto, e acho essa uma mania que não vou livrar-me nem tão cedo muito menos facilmente, quando vejo corroer-te o mesmo mal.
Sou insana, terem ciúmes de mim é algo que me deixa extasiada. Merecedora de tanto zelo... Sinto-me a pessoa mais querida do mundo. E amo-te mais quando me dizes que o teve.

Se sabes disso, não sei.
Mas achei que deveria confessar-me agora, que deixar passar em branco e esse texto perder-se na minha pequena memória.

sábado, setembro 19, 2009

Dias de luta, dias de glória



Sabe aqueles dias que vc percebe que tirando uns 3 ou 4 dias atrás, vc non mexeu uma palha em qualquer outra direção? Que você continua parado, que seu mar não tem ondas, que seu mundo tá cinza?
Sabe quando vc quer mais é deitar numa rua e esperar a vida mudar, pq vc não sabe mais pra onde correr, ou o que quer, ou como esperar?
Quando você não se sente presa em lugar nenhum, quando vc sente que a vida de todos que te rodeiam seria a mesma coisa com ou sem vc, quando vc sente que eles tbm sabem disso.

Quando qualquer coisa parece um sinal, quando tudo na rua te lembra um problema, quando vc tem vontade de matar todo e qualquer impensilho.
Quando tudo em você incomoda, quando vc quer não ter tempo nem pra pensar mas o tédio é tão grande que multiplica seu tempo vazio por 8.
Quando non tem nada nem ninguém pra pedir ajuda, quando vc tá sozinho, quando vc não tem mundo, quando vc não tem motivo pra nada.
Quando vc quer uma resposta pra fazer sua vida perfeita, quando vc quer ter um futuro bom, quando vc fica frustrado facilmente.
Quando vc não pode contar com ninguém, quando vc percebe que vc é confiável mas não tem isso de volta, quando vc começa a lembrar de todas as vezes que vc falou "não faço mais isso" e fez de novo.
E te dá vontade de gritar de raiva pro mundo ouvir que vc não quer ser mais boazinha, que vc quer perder todos seus sentimentos, que vc não quer monotonía, que quer pular de um prédio só pelos poucos segundos de adrenalina.
E vc se pergunta em quanto tempo notariam que vc não está mais alí, e quem além da sua mãe, perceberia primeiro...

E por mais que às vezes vc pense que não, sua mãe é confiável, e isso te deixa triste, por só conseguir pensar nela nesse posto.
E vc quer perder escrúpulos, quer virar gelo, quer queimar o mundo vivo, mas se deixa solta no seu mar sem maré, sentindo o nada, deixando o nada tomar conta, pq é melhor não sentir nada do que essa sensação de estar no escuro sozinha.