sábado, agosto 01, 2009

My not so dear family




Um dia ruim não é nada. Tudo passa, é o que eu tento me dizer pensando forçosamente em Xico Xavier.
Assim como o dia de ontem passou. Vou postá-lo em breve, ou não.
Hoje, fatídicamente, eu fechei a porta do meu quarto (que, aviso logo, não está ali de enfeite.), e esse foi o meu grande erro.
Ela falou pra eu abrir a porta, me atolou de elogios, me deixando extasiada. Não suficientemente, ela me perguntou gentilmente se eu podia dar comida ao Bibias. Eu dei, mas na pressa de sair da presença dela, eu esqueci de lavar a vasília. Mais um ponto pro destino. Elogios novamente.
"Você não faz nada direito, que merda! Queria ver se você comesse numa vasília no quintal, ele é um Cachorro não um porco, me dá essa merda, nunca faz nada, e o mínimo que eu peço pra você ainda faz errado." E o show continua.
Eu só queria sair de lá. O mais rápido. Consegui.

Eu sinceramente não entendo qual o problema dela, de vez em quando ela dá esses pitis. Justamente quando eu non to fazendo nada, sinceramente, a única coisa que ela me dá bronca é pq cheguei atrasada. Quantas mães hoje podem se gabar disso? Quantas mães por aí com filhos viciados, bandidos, non queriam um dia somente poder se dar ao luxo que seu filho tá só atrasado?
Eu não faço nada errado. Eu vou pra escola, tento tirar notas boas, não importuno (mas ela diz que eu já levanto pertubando, pq eu me atraso pra me arrumar, e ela levanta e fica falando sem parar no meu ouvido... Não parece que sou eu que to importunando, né?), não machuco a criança (que por sinal eu non sou muito fã da espécie em miniatura), não machuco meu cachorro, ela manda, eu faço (me atraso mais eu faço) se ela não deixa, eu non faço, se ela deixa eu fico feliz.

Então ela me viu chorando. Disse "quem devia tá chorando sou eu! Se vocÊ tivesse uma filha que cagasse e andasse pra vocÊ! Você não faz nada, só reclama, só me agrada quando quer alguma coisa!" Bla bla bla mais meia hora.

E eu non posso fechar a porta. Pq ela decidiu que eu non posso. Eu tenho uma porta como um suvenier. Está aqui só pq é bonita, não tem utilidade.

É, realmente ela devia estar chorando... eu dou todos os motivos pra ela mesmo. Ontem na festa meu pai riu dela e eu defendi, quando minha tia reclama do cachorro (que ela tá esnobando por causa do pequeno ser) eu defendo ela, quando ela quer chorar e reclamar da vida, apesar de eu non saber como comfortar, eu ouço, e até choro com ela. Ela devia estar chorando, sou o pior erro que ela já cometeu. Só faço merda, realmente. Bebo, fumo, cheiro, me drogo, vivo na delegacia, dou em qualquer lugar, estou cheia de dst, grávida, assassino gente, roubo, atrapalho todos, chantageio. É, chora mesmo. Eu não presto, é só o que te resta fazer, né? Já pensou em reformatório? Devia ser bom lá. Não posso me atrasar lá. Eu já perguntei a ela como as pessoas conseguem se matar, ou se machucar pra esconder a dor. Ela falou "Eles tem mente fraca, sorte minha que você não tem" Mais um motivo pra ela chorar. Me corto todo dia.


Eu acho que o problema dela é como eu lido com a minha dor. Eu não sou explícita, não corro pra todos pra amenizar "meu calvário", e isso deve emputecer ela! Não me ter correndo até a saia dela pedindo ajuda pra lavar a mão, sempre. Muito difícil.


O único motivo pelo que ela deve chorar é que eu não vou mudar. Não mudei até hoje, agora é que non mudo mesmo. Chora, mas chora na cama que é um lugar quente.


E pra melhorar, eu fui pedir ombro amigo a um amigo que sempre esteve ali, e eu falei "Eu não pertubo ela, non machuco ninguém, non mecho com ninguém, não ando de vadiagem, non faço merda, vivo em casa e ela tá descontando em mim. POR QUE?!"
E ele respondeu "e vc tá descontando em mim pq?" Doeu. Até fiquei offline. Tudo bem, deu pra postar aqui. E eu pensando que o post dessa vez seria felizinho. A gente non pode se alegrar mesmo.

1 comentários:

Phills disse...

Só se reconhece o verdadeiro valor de alguém quando ele não está mais ali. Depois que você morrer, todo mundo vai te amar como merece. Pra sua sorte eu já te amo agora. :)

Postar um comentário